Publicado em Produção, Sociedade

“QUE É QUE EU VIM FAZER NESSA PERIFERIA?”

“QUE É QUE EU VIM FAZER NESSA PERIFERIA?”

DATA: 08 de dezembro de 2013
LOCAL: Praça de Alimentação do Shopping Passeio das Águas (Goiânia-GO)
ATOR: rapaz com camisa do jacaré que mora no exterior
CENA: Fila do Bob’s, o ator com uma criança faz um pedido com dois sanduíches, mas quando do pagamento diz ao caixa que são dois pedidos separados e exclama discriminações

FALA: “QUE É QUE EU VIM FAZER NESSA PERIFERIA? Ah, falei que era pra gente ter ido no Bueno ou no Oeste! Viemos aqui na periferia, dá nisso! Em casa te ensino o que é periferia!”

Não me contive! Foi impossível ouvir essa discriminação monstruosa e não retrucar, e mandar esse burguês voltar pro Vaca Brava! “Por que é que você veio aqui então?”, questionei. Ele continuou “orgulhoso” de sua fala e ainda a repetiu duas vezes… Rolou um alto bate-boca, mas ninguém falou nada. Daí ele subiu ainda mais alto no monte da arrogância e disse “Eu nem moro no Brasil.”

A burguesia não aguenta mais ter que conviver com “pobre” no aeroporto, no Shopping… Na sua frente!

Anúncios

Autor:

Sou servidora técnica da UFG, educadora, radialista e empreendedora social. Minha missão é construir meu caminho feliz, simples e ético, e dar minha contribuição por um mundo mais acolhedor e justo a partir da inovação, trabalho e humanidades. "Paretando", 80% de humanas e 20% encantada com os números, essa abstração inquietante. Mais em michelycoutinho.com.br.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s