Publicado em Sexualidade e LGBTT

Blogagem Coletiva Pelo Dia da Visibilidade Trans*: Basta de Transfobia!

Convocação – Blogagem Coletiva pelo Dia da Visiblidade Trans*: Basta de Transfobia!

by Blogueiras Feministas

Em parceria com as Blogueiras Negras,  Transfeminismo e True Love convidamos você para participar da ‘Blogagem Coletiva Pelo Dia da Visibilidade Trans*: Basta de Transfobia!’.

banner_grande

Em 29 de janeiro de 2004, foi lançada a primeira campanha institucional contra a transfobia no país. A campanha “Travesti e Respeito” do Departamento DST, Aids e Hepatites Virais do Ministério da Saúde, foi a primeira campanha nacional idealizada e pensada por ativistas trans* para promoção do respeito e da cidadania. O Dia da Visibilidade Trans* tem o objetivo de ressaltar a importância da diversidade e respeito para o Movimento Trans*, representado por travestis, transexuais e transgêneros.

A proposta da Blogagem Coletiva é agregar e divulgar material referente a visibilidade trans e ao combate da transfobia. Durante a semana de 27 a 31 de janeiro, publique um post sobre o tema (em seu blog, tumblr, facebook, etc.) e nos envie o link. Publicaremos uma lista com todas os participantes no dia 31 de janeiro. A hashtag que será usada nas redes sociais é: #VisibilidadeTrans.

A transfobia é uma violência que pessoas trans* passam todos os dias. Essa violência acontece quando uma pessoa trans* é chamada de “traveco”, quando falam que uma pessoa trans* é menos homem ou menos mulher. Transfobia é ser ignorada pelo mercado de trabalho. Transfobia é ser expulsa da escola. Transfobia é não poder usar seu próprio nome. Transfobia é desrespeitarem sua identidade de gênero. Transfobia é não ter acesso a coisas básicas, como um banheiro. Além dia, a transfobia mata muitas pessoas trans*.

Por isso, 29 de janeiro é Dia da Visibilidade Trans*. Sempre é importante lembrarmos o que é transfobia e quais direitos pessoas cissexuais acessam todos os dias, mas que são negados as pessoas trans*. E, especialmente, para lembrar que o Brasil é um dos países que mais mata pessoas trans* no mundo.

Fonte: http://blogueirasfeministas.com/2014/01/convocacao-blogagem-coletiva-pelo-dia-da-visiblidade-trans-basta-de-transfobia/

Publicado em Feminismo

EDITORIAL | blogueirasfeministas.com

[ E continua a construção diária dos feminismos, ora individualmente no nosso dia-a-dia, ora nos coletivos nossos por aí… ]

EDITORIAL | blogueirasfeministas.com

Nosso objetivo é discutir feminismo. Em suas pluralidades e particularidades. Nas suas benesses e feridas. Além disso, queremos refletir sobre questões que cercam a formação de um mundo mais justo e igualitário para TODAS as pessoas.

Este é um blog político, portanto, nos reservamos ao direito de não publicar textos que sejam contrários a nossos posicionamentos. Primamos pela crítica as estruturas e instituições, não a indivíduos.

Buscamos não difundir preconceitos e buscamos utilizar os princípios da interseccionalidade em nossos textos. Nem sempre somos bem sucedidas, por isso, para que o aprendizado seja conjunto e que a mudança seja uma possibilidade de construção coletiva, preferimos que críticas sejam feitas abertamente, em público. Afinal, esse é um blog feito por muitas mãos, olhos, cérebros, dedos, pernas, ouvidos, pulmões e corações. Uma colcha de retalhos que dialoga por meio de diversas vozes, opiniões, pensamentos e personalidades.

Tudo que aqui está publicado é responsabilidade nossa, como coletivo. A proposta atual é fazer um espaço virtual mais amplo e democrático. Entendemos que mesmo buscando a pluraridade erramos em alguns momentos. Portanto, vasculhando os arquivos é possível encontrar textos com vestígios racistas, gordofóbicos, transfóbicos, classistas, capacitistas, lesbofóbicos, bifóbicos, homofóbicos, entre outros preconceitos tão arraigados em nós. Há também a questão da invisibilidade, na maioria de nossos textos damos voz a mulher branca, heterossexual, cissexual, de classe média.

Não acreditamos em estereótipos. Não acreditamos em verdades absolutas. Não acreditamos no feminismo como uma cartilha e nem como religião. Nosso feminismo é político e está constantemente em construção. Aberto para agregar ideias, valores e conceitos. Pronto para reconhecer privilégios e contradições. Disposto a questionar universalizações e essencialismos. Temos o desafio de propor, lutar e implementar mudanças sociais que construam uma sociedade melhor para TODAS as pessoas.

Fonte: http://blogueirasfeministas.com/editorial/

Publicado em Direito do Trabalho, Produção, Terceirização, Trabalho

[ TRABALHO/TERCEIRIZAÇÃO & PENAL ]

A terceirização segue demonstrando seu papel de apodrecimento das relações e estruturas sociais.

Um agente penitenciário, além do concurso, participa de curso de formação de 3 a 6 meses. Um terceirizado apenas uma semana de palestras. 80% dos agentes penitenciários do Maranhão são terceirizados. Mais uma peça, esta trabalhista, do quebra-cabeça trágico do sistema penal brasileiro. Até quando?